AquaRio bate 2 milhões de visitantes em menos de dois anos

Em um ano e oito meses, dois milhões de visitantes já tiveram a experiência de imersão no fundo do mar no maior aquário marinho da América do Sul. Para 1,3 milhão de cariocas e fluminenses, ou 65% do público, o AquaRio se tornou referência na conservação da vida marinha e um programa para toda a família. Depois do Rio, os estrangeiros foram o público mais representativo, com 140 mil pessoas, seguidos por mais de 120 mil visitantes paulistas. Demograficamente, as mulheres respondem por 66% do público,

“As mulheres trazem os filhos, os pais e o demais familiares, por isso, são um público muito importante para nós. Nossa equipe de educação está sempre pensando em novas exposições e atividades educativas voltadas para toda a família. A todos que nos visitaram, o nosso muito obrigado”, afirma Marcelo Szpilman, diretor-presidente do AquaRio.

Segundo ele, ao longo desse tempo foram contadas histórias curiosas sobre a chegada de novos habitantes, como o Donald e o Gastão, para tentar a primeira reprodução em cativeiro da espécie Mangona, bastante ameaçada. “Fico feliz por contar possíveis histórias de amor e, ao mesmo tempo, ajudar na conservação das espécies, encantando crianças e adultos”, comemora.

Tubarões são atração no mês das férias

Eles estão na Terra há mais de 400 milhões de anos e até hoje causam admiração em adultos e crianças. Por isso, ganharam um mês inteiro de comemorações no AquaRio. Os tubarões serão tema de exposições, debates, exibição de documentários e jogos educativos que estarão disponíveis para os visitantes neste mês de férias escolares.

“É necessário chamar atenção dos visitantes do AquaRio sobre a pesca predatória dos tubarões. Cerca de 100 milhões de tubarões são mortos por ano em todo o mundo, sendo a maioria para obtenção de barbatanas. É necessário que a sociedade se conscientize de que muitas espécies estão em declínio acentuado e se mobilize para conservá-los”, diz Szpilman.

Varal de nadadeiras

Cinco emblemáticos tubarões — baleia (Rhincodon typus), branco (Carchadoron carcharias), tigre (Galeocerdo cuvier), cabeça-chata (Carcharhinus leucas) e mako (Isurus oxyrinchus) — terão suas imagens em tamanho real expostas ao longo do circuito de visitação. Só o tubarão-baleia terá 10 metros de comprimento.

O AquaRio também fará um “varal de nadadeiras”, a fim de chamar atenção dos visitantes sobre o risco de extinção de inúmeras espécies de tubarões.  Um dente fóssil de Megalodon, maior tubarão que já viveu na terra, e uma réplica em tamanho original do tubarão Mangona (Carcharias taurus) — a mesma espécie da Margarida, símbolo da atração que chega a 3 metros de comprimento — farão parte da mostra “Evolução e diversidade dos tubarões”, com peças cedidas pelo Museu Histórico Nacional.

 Diversão para a criançada

As crianças poderão aprender um pouco mais sobre o “senhor dos mares” com brincadeiras educativas. Uma delas será a oficina de desenho que os pequenos poderão idealizar sua espécie predileta. As figuras darão origem a uma animação que poderá ser vista na atração. Assim como uma sereia que, diariamente, fará mergulhos no recinto dos bijupirás, sempre das 11h às 12h. Nos fins de semana, os visitantes terão a oportunidade de ver um mergulho extra,  entre 14h e 15h.

 Exibição de documentário premiado

Nos dias 21 e 28 de julho, a partir das 16h, o AquaRio exibirá o documentário “Sharkwater”, que denuncia o massacre dos tubarões e que fala sobre a importância destes animais para o ecossistema marinho.

Debate com especialistas

Nos dias 22 e 29 de julho, às 16h, os educadores do AquaRio farão um bate-papo com o público falando sobre o “Rei dos mares”. Já no sábado dia 28 de julho, às 18h, no lobby do AquaRio, começa a série “Tomando ciência”, em que os debates científicos serão aliados a um bom papo e uma rodada de chope. O tema será “Mitos e verdades sobre os tubarões” e debaterá também questões sobre declínio e conservação das espécies. Neste dia, o evento será gratuito.

Fonte: AquaRio, com Redação

Deixe uma resposta