Startup carioca leva inovação na área de petróleo à Noruega

A easySubsea foi criada para melhorar o controle de poços de petróleo. Hoje, a startup brasileira abriu uma companhia-irmã na Noruega, referência no setor.

 

Não é de hoje que o mercado de startups brasileiras já é considerado maduro. Apesar dos sentimentos de recuperação gradual quanto à situação econômica do país, negócios inovadores e tecnológicos têm se desenvolvido exponencialmente e, inclusive, se tornado cases internacionais.

É o caso da easySubsea: o negócio, criado no Rio de Janeiro, tem como objetivo trazer informações mais precisas ao monitoramento de poços de petróleo, aumentando a eficiência de exploradoras do combustível fóssil.

Hoje, a startup brasileira já se expandiu para um país que é referência no mercado de petróleo: a Noruega. Nacionalmente, a ideia conquistou a incubadora Coppe, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e o programa de aceleração InovAtiva, do Governo Federal.

Desenvolvimento de tecnologia

A easySubsea foi criada em 2015, como um spin-off de uma empresa maior, chamada Transeletron. A companhia, fundada em 1999, é especializada em automação, controle e monitoramento de poços de petróleo submarinos e terrestres.

“A Transeletron trabalhava com produtos de outros fabricantes e percebeu que muitas experiências que ela tinha em campo poderiam ser usadas para melhorar tais produtos. Foi criado um grupo de inovação e P&D [pesquisa e desenvolvimento], desenvolvendo novos itens para esse mercado de petróleo”, conta Rhuan Barreto, sócio da easySubsea.

Em 2014, o grupo percebeu que já havia massa muscular suficiente para operar sozinho e focar ainda mais em sua premissa tecnológica. Assim, separou-se e foi batizado de easySubsea.

 

Por Mariana Fonseca

Fonte: https://exame.abril.com.br/pme/startup-brasileira-leva-inovacao-na-area-de-petroleo-a-noruega/

Deixe uma resposta